d-e-s-v-a-n-e-c-e-d-o-r-a
Frágil — você tem tanta vontade de chorar, tanta vontade de ir embora. Para que o protejam, para que sintam falta. Tanta vontade de viajar para bem longe, romper todos os laços, sem deixar endereço. Um dia mandará cartão-postal, de algum lugar improvável. Bali, Madagascar, Sumatra. Escreverá: penso em você. Deve ser bonito, mesmo melancólico, alguém que se foi pensar em você num lugar improvável como esse.
Caio Fernando Abreu.  (via cuidei)
d-engoso
Saudade do seu abraço que nunca tive e do seu beijo que nunca senti. Saudade da sua voz que me acalmava e da risada que era a melhor melodia que já ouvira. Saudade do seu toque que nunca apreciei e dos seus tapas que nunca senti. Saudade de quando eu não sentia saudade de nada. Saudade da infância e dos joelhos machucados. Saudade de quando eu dormia no sofá e acordava na cama. Saudade, apenas saudade.
K. Shibahara.    (via d-engoso)
d-engoso
Ah o amor. O amor não acaba, não se substitui. O amor não morre, pelo contrário, fica mais vivo com o passar dos dias. As vezes a gente acha que ama, mas não é amor. As vezes é encanto, paixão, carinho, ou até algum outro sentimento que não tenha nome, mas por fazer o coração acelerar, a gente se engana que é amor. Mas amor, amor de verdade mesmo, eu acredito que ele dura por todas as vidas.
Pam Ferreira. (via d-engoso)
d-engoso
Quero fugir de casa mudar a rotina do dia-a-dia. Quero colher paz e esperanças. Quero cultivar flores sem medo do amanhã, me ferir com espinhos. Quero encontrar o conforto de um abraço, onde eu possa me esconder dos perigos do mundo. Quero cafuné no domingo de manhã e sexo tomando banho de espuma. Quero alguém pra aceitar minhas crises paranoicas. Quero um homem feminino pra me ajudar nas unhas, escolher a cor da tinta dos meus cabelos. Atravessar montanhas, ser o motivo da minha alegria, o cálice que me transmite sentimentos verdadeiros e ter fé em concretizar os sonhos. Quero a calma de um amor tranquilo. Um amor bandido, um romance, uma história a dois. Quero receber flores no café da manhã e um bilhete que toque meu coração tirando sorrisos. Quero chorar e ter a certeza que alguém vai enxugar o peso das lágrimas. Quero encontrar a alma que me falta e espantar o vazio que me condena. Topo entrelaçar os dedos nas mãos, passar a madrugada de chuva trocando beijos cheios de carícias. Quero morrer de amor e a sorte de continuar vivendo. O amor é grande e cabe num céu estrelado. O azul do céu traz esperanças e cabe num jardim do amor. O amor é forte e vence qualquer dor.
Dan Maia  (via d-engoso)