reatou-se
Aos solteiros, celebrem o amor próprio, pois somente quando você se ama e se aceita que as outras pessoas podem amar você. Não fique triste se está sozinho pois o ditado antes só do que mal acompanhado é o mais válido. Fique de olho no que está transmitindo pois recebemos um reflexo do que emitimos. Seja feliz independente de companhia, e lembre que a família e os amigos nos preenchem de qualquer vazio.
Pedro Bial.    (via reatou-se)
reatou-se
Fizeram a gente acreditar que amor mesmo, amor pra valer, só acontece uma vez, geralmente antes dos 30 anos. Não contaram pra nós que amor não é acionado, nem chega com hora marcada. Fizeram a gente acreditar que cada um de nós é a metade de uma laranja, e que a vida só ganha sentido quando encontramos a outra metade. Não contaram que já nascemos inteiros, que ninguém em nossa vida merece carregar nas costas a responsabilidade de completar o que nos falta: a gente cresce através da gente mesmo. Se estivermos em boa companhia, é só mais agradável. Fizeram a gente acreditar numa fórmula chamada “dois em um”: duas pessoas pensando igual, agindo igual, que era isso que funcionava. Não nos contaram que isso tem nome: anulação. Que só sendo indivíduos com personalidade própria é que poderemos ter uma relação saudável. Fizeram a gente acreditar que casamento é obrigatório e que desejos fora de hora devem ser reprimidos. Fizeram a gente acreditar que os bonitos e magros são mais amados, que os que transam pouco são confiáveis, e que sempre haverá um chinelo velho para um pé torto. Só não disseram que existe muito mais cabeça torta do que pé torto. Fizeram a gente acreditar que só há uma fórmula de ser feliz, a mesma para todos, e os que escapam dela estão condenados à marginalidade. Não nos contaram que estas fórmulas dão errado, frustram as pessoas, são alienantes, e que podemos tentar outras alternativas. Ah, também não contaram que ninguém vai contar isso tudo pra gente. Cada um vai ter que descobrir sozinho. E aí, quando você estiver muito apaixonado por você mesmo, vai poder ser muito feliz e se apaixonar por alguém.
Martha Medeiros.    (via reatou-se)
d-engoso
Eu ainda queria te ouvir, saber se você pensou em voltar, se mandou arrumar aquele zíper do casaco ou aprendeu a cozinhar o filé que a sua mãe faz. Saber de você, dos seus dias, da sua rotina longe de mim. Porque as coisas mudam, não mudam? Se não mudassem, algo estaria errado. E foi justamente para mudarem que acabamos, eu lembro bem, para você ter outra rotina no seu canto e eu no meu, “vermos no que dá”. E tem tanta coisa que ninguém previu… Tanta saudade que não se calculou. É por essas e outras que eu nunca durmo muito longe do telefone. Eu ainda queria te ouvir, mesmo sabendo que nenhum de nós tinha o que falar.
Camila Costa.  (via d-engoso)
d-engoso
Lembra que o lugar reservado no meu coração é teu. Que o lado esquerdo da cama, vai ser preenchido por você. O cheiro nos meus lenções vai ser do teu perfume. Você é o meu premiado, pra dividir tarefas do dia-a-dia, fazer planos e realizar na folga do trabalho. Quero te amar de domingo á domingo com a clareza do teu olhar, beijos imensos a luz de vela e músicas ao som do violão nos amando feito loucos. Quero concretizar nossos sonhos, ir em busca da lua, quando a saudade transparecer. Quero ser teu dengo bom, tua saudade boa, teu último amor.
Dan Maia  (via d-engoso)
d-engoso
Desenhe cada parte do meu corpo, descubra a ligação dos nossos corpos juntos. Me puxe pelo quadril, jogue as peças das minhas roupas pela casa. Toque minha pele, bagunce meus cabelos longos, sussurre aos pés dos meus ouvidos. Leve sua mão até meu rosto, olhando fundo nos olhos e me diga qualquer palavra boba. Faça cocegas beijando meus pés, adimita que sou tua. Faça-me um convite para dormir de conchinha, prometendo melodias ao luar com cafuné. Aperte minhas vértebras, respire perto de mim, deixe sua marca em meu pescoço. Me dê a sua mão, me leva pra sala, vamos assistir filme ou brincar jogando almofadas no outro. Deguste meus cheiros, decore minhas cores. Deixa minha alma te acalmar. Vamos aproveitar o som dos pingos de chuva lá fora.
Dan Maia  (via d-engoso)
d-engoso
Pode-se prometer atos, mas não sentimentos; pois estes são involuntários. Quem promete a alguém amá-lo sempre, ou sempre odiá-lo ou ser-lhe sempre fiel, promete algo que não está em seu poder; no entanto, pode prometer aqueles atos que normalmente são consequência do amor, do ódio, da fidelidade, mas também podem nascer de outros motivos: pois caminhos e motivos diversos conduzem a um ato. A promessa de sempre amar alguém significa, portanto: enquanto eu te amar, demonstrarei com atos o meu amor; se eu não mais te amar, continuarei praticando esses mesmos atos, ainda que por outros motivos: de modo que na cabeça de nossos semelhantes permanece a ilusão de que o amor é imutável e sempre o mesmo. — Portanto, prometemos a continuidade da aparência do amor quando, sem cegar a nós mesmos, juramos a alguém amor eterno.
Friedrich Nietzsche   (via d-engoso)
d-e-s-v-a-n-e-c-e-d-o-r-a
Frágil — você tem tanta vontade de chorar, tanta vontade de ir embora. Para que o protejam, para que sintam falta. Tanta vontade de viajar para bem longe, romper todos os laços, sem deixar endereço. Um dia mandará cartão-postal, de algum lugar improvável. Bali, Madagascar, Sumatra. Escreverá: penso em você. Deve ser bonito, mesmo melancólico, alguém que se foi pensar em você num lugar improvável como esse.
Caio Fernando Abreu.  (via cuidei)
d-engoso
Saudade do seu abraço que nunca tive e do seu beijo que nunca senti. Saudade da sua voz que me acalmava e da risada que era a melhor melodia que já ouvira. Saudade do seu toque que nunca apreciei e dos seus tapas que nunca senti. Saudade de quando eu não sentia saudade de nada. Saudade da infância e dos joelhos machucados. Saudade de quando eu dormia no sofá e acordava na cama. Saudade, apenas saudade.
K. Shibahara.    (via d-engoso)